Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Lesões musculoesqueléticas em praticantes de judô

Ana Laura Gil Manzato, Hugo Parra de Camargo, Dayana das Graças, Paula Felippe Martinez, Silvio Assis de Oliveira Júnior

Resumo


A prática de judô integra situações variadas de contato físico e exigências específicas, tornando-o uma modalidade competitiva e com alto índice de lesões musculoesqueléticas (LME). Este estudo transversal teve por objetivo descrever a epidemiologia de LME e analisar a relação entre diferentes características e a ocorrência de lesão em judocas. A casuística integrou 111 participantes de ambos os sexos. Para tomar informações sobre lesões, utilizou-se um inquérito de morbidade referida. Para análise estatística, foi empregado o teste de Goodman de proporções multinomiais. A relação entre fatores associados com LME foi avaliada por meio de regressão logística. Foram relatados 135 LME, com prevalência de 65% (72 esportistas), totalizando 1,22 LME/atleta. A maioria dos relatos foi constituída por lesões articulares decorrentes de traumas (n=50 casos, 37%), sendo que entorse de tornozelo (25,2%) e luxação de ombro (17,8%) foram os casos com maior frequência. Entre as lesões ósseas, verificou-se maior proporção de casos graves (25 casos; 18,5%). Sexo e carga horária semanal constituíram-se como as principais características preditivas para ocorrência de LME no judô (p<0,001). Conclui-se que as lesões articulares traumáticas em tornozelo e ombro foram as principais LME no judô. Sexo masculino e maior carga horária semanal constituíram-se como as principais características preditivas de lesão entre judocas.

Palavras-chave


Artes Marciais; Traumatismos em Atletas; Epidemiologia

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1809-2950/16325024022017

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.