Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Mudanças morfológicas e efeitos hidrodinâmicos do processo de urbanização na bacia hidrográfica do rio Tamanduateí – RMSP

Isabel Cristina Moroz-Caccia Gouveia, Cleide Rodrigues

Resumo


Apoiado na geomorfologia antropogênica e histórica, este artigo apresenta metodologia aplicada à bacia hidrográfica do rio Tamanduateí para analisar qualitativa e quantitativamente as mudanças decorrentes da urbanização em sistemas físicos a partir da cartografia geomorfológica. A premissa principal dessa abordagem é considerar as ações humanas na paisagem como ações de natureza geomorfológica cujos efeitos podem ser medidos por indicadores e parâmetros. Entre outras análises, a identificação de características originais ou pré-urbanas e de mudanças antropogênicas permitiu estimar a perda da capacidade de armazenamento de água devido à supressão de planícies fluviais e mudanças no balanço hidrodinâmico nas vertentes da bacia hidrográfica.


Palavras-chave: Urbanização. Mudanças morfológicas. Balanço hidrodinâmico. Cartografia geomorfológica. Geomorfologia antropogênica e histórica.


Palavras-chave


urbanização, mudanças morfológicas, balanço hidrodinâmico, cartografia geomorfológica, geomorfologia antropogênica e histórica

Texto completo:

PDF

Referências


AB'SÁBER, A. N. Natureza primária de São Paulo de Piratininga. Scientific American Brasil, São Paulo, n. 25, jun. 2004a. Disponível em: http://www2.uol.com.br/sciam/artigos/natureza_primaria_de_sao_paulo_de_piratininga_imprimir.html. Acesso em: 3 abr. 2017.

______. São Paulo: ensaios entreveros. São Paulo: Edusp/Dosp, 2004b.

______. O Alto Tamanduateí e a região de Mauá: um roteiro de estudos para a elaboração de um projeto. In: SIMPÓSIO NASCENTES, 1., 2003, Mauá. Anais... Mauá: Prefeitura do Município de Mauá, 2003. p. 99-130.

______. Mudanças urbanas em São Paulo. Publicações Sesc, São Paulo, n. 11, p. 33-34, 1999.

______. A planície do Tietê no Planalto paulistano. Geomorfologia, São Paulo, n. 57, p. 1-24, 1978.

______. O problema das paisagens originais do sítio urbano de São Paulo. Notícia Geomorfológica, Campinas, v. 4, n. 7-8, p. 52-55, 1961.

______. O quaternário na bacia de São Paulo: estado atual dos conhecimentos. Geomorfologia, São Paulo, n. 8, p. 1-15, 1959.

______. Geomorfologia do sítio urbano de São Paulo. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1957.

______. Os terraços fluviais da região de São Paulo. Anuário da Fac. De Filosofia do Instituto Sedes Sapientie, São Paulo, v. 10, p. 86-104, 1953.

BERGES, B. Geomorfologia urbana histórica aplicada à análise das inundações na bacia hidrográfica do Córrego da Moóca. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

DAEE. DEPARTAMENTO DE ÁGUAS E ENERGIA ELÉTRICA. Rio Tamanduateí, [s.d.]. Disponível em: www.daee.sp.gov.br. Acesso em: set. 2008.

______. DEPARTAMENTO DE ÁGUAS E ENERGIA ELÉTRICA. Piscinões cumprem papel das várzeas ocupadas desordenadamente. São Paulo, [s.d]. Disponível em: http://www.daee.sp.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=60:piscinoeshome&catid=38:piscinoes&Itemid=13DAEE94. Acesso em: 13 mar. 2017.

DOUGLAS, I. The Urban environmental. Londres: Edward Arnold, 1983.

______. The impact of urbanization on fluvial geomorphology in the humid tropics. In: Symposium on Environmental Geomorphology in the Tropical Regions. Lubumbashi: Geo-Eco Trop, 1975. p. 229-242. Fasc.1-2.

DYLIK, J. Notion du versant en geomorphologie. Bulletin de l’Academie Polonaise des Sciences, v. 16, n. 2, p. 125-132, 1968. Série des Sciences Geologiques et Geographiques.

EMPLASA. EMPRESA PAULISTA DE PLANEJAMENTO METROPOLITANO S.A; SEPLAN. A SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO. Cartas de uso e ocupação do solo da RMSP e bacia hidrográfica do Alto Tietê. São Paulo: Emplasa/Fehidro, 2005. Escala 1:25.000.

GOUDIE, A. The human Impact in the Natural Environment. 4. ed. Cambridge: MIT Press, 1994.

______. The nature of the environment: an advanced physical geography. Oxford, UK: B. Blackwell, 1984.

GUPTA, A. The changing geomorphology of the humid tropics. Geomorphology, v. 7, n. 1, p. 165-186, 1993.

IGAM. INSTITUTO MINEIRO de GESTÃO DAS ÁGUAS. Glossário de termos relacionados à gestão dos recursos hídricos. Belo Horizonte: IGAM, 2008. Disponível em: http://comites.igam.mg.gov.br/new/images/stories/Pdf/glossario%2Bde%2Brecursos%2Bh%EDdricos%2B04%5B1%5D%5B1%5D.06.pdf. Acesso em: 19 maio 2010.

LAGO, P. C. Acervo do Museu Paulista da Universidade de São Paulo. Iconografia paulistana no século XIX. São Paulo: Metalivros, 1998.

LIMA, C. R. Urbanização e intervenções no meio físico na borda da bacia sedimentar de São Paulo: uma abordagem geomorfológica. Dissertação (Mestrado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1990.

LUZ, R. A. Mudanças geomorfológicas na planície fluvial do rio Pinheiros, São Paulo-SP, ao longo do processo de urbanização. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

MOROZ-CACCIA GOUVEIA, I. C. A cidade de São Paulo e seus rios: uma história repleta de paradoxos. Confins (Online), n. 27, 2016. Disponível em: http://confins.revues.org/10884. Acesso em: 17 mar. 2017.

______. Da originalidade do sítio urbano de São Paulo às formas antrópicas: aplicação da abordagem da geomorfologia antropogênica na bacia hidrográfica do rio Tamanduateí, na Região Metropolitana de São Paulo. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

NIR, D. Man, a geomorphological agent: an introduction to anthropic geomorphology. Jerusalém: Keter Publishing House, 1983.

PIVETTA, M. Da garoa à tempestade: temporais se tornam mais frequentes e chuva aumenta 30% em São Paulo em 80 anos. Revista Pesquisa FAPESP, São Paulo, ed. 195, maio 2012.

RIO DE JANEIRO (Estado). Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Revitalização de rios: orientação técnica. Rio de Janeiro: Semads, 2001. (Projeto Planagua Semads GTZ, de Cooperação Técnica Brasil/Alemanha).

RODRIGUES, C. Atributos ambientais no ordenamento territorial urbano: o exemplo das planícies fluviais na metrópole de São Paulo. Geousp – Espaço e Tempo (Online), v. 19, n. 2, p. 325-348, ago. 2015. ISSN 2179-0892. Disponível em: . doi: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2015.102805.

______. Avaliação do impacto da urbanização em sistemas hidrogeomorfológicos: desenvolvimento e aplicação de metodologia na Grande São Paulo. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 20, p. 111-125, 2010.

______. Avaliação do impacto humano da urbanização em sistemas hidrogeomorfológicos: desenvolvimento e aplicação de metodologia na Grande São Paulo. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOMORFOLOGIA, 7., 2008, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte, 2008.

______. Sistemas geomorfológicos e o impacto da urbanização na Metrópole de São Paulo. SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOMORFOLOGIA, 6., 2006, Goiânia. Guia de Excursão... Goiânia, 2006.

______. Morfologia original e morfologia antropogênica na definição de unidades espaciais de planejamento urbano: exemplo na metrópole paulista. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 17, p. 101-111, 2005.

______. A urbanização da metrópole sob a perspectiva da geomorfologia: tributo a leituras geográficas. In: CARLOS, A. F. A.; OLIVEIRA, A. U. (Org.). Geografias de São Paulo: representações e crise da metrópole. São Paulo: Contexto, 2004. p. 89-114. v. 1.

______. Geomorfologia aplicada: avaliação de experiências e de instrumentos de planejamento físico-territorial e ambiental brasileiros. Tese (Doutorado em Geografia Física) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

______ et al. Geomorfologia urbana histórica para avaliação de forçantes naturais e antrópicas na variabilidade da magnitude, frequência e das tendências espaciais de eventos de inundações em São Paulo. Meio ambiente e Geomática: Abordagens comparadas França-Brasil, Rennes, 12-15 nov. 2014. Disponível em: http://envibras2014.sciencesconf.org. Acesso em: 17 abr. 2017.

______; MOROZ-CACCIA GOUVEIA, I. C. Importância do fator antrópico na redefinição de processos geomorfológicos e riscos associados em áreas urbanizadas do meio tropical úmido: exemplos na Grande São Paulo. In: GUERRA, A. J. T.; JORGE, M. C. O. Processos erosivos e recuperação de áreas degradadas. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. p. 66-94.

ROSS, J. L. S. Geomorfologia aplicada aos EIAs-RIMAs. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. (Org.). Geomorfologia ambiental. Rio de Janeiro: Bertrand, 2004. p. 291-336.

______. Geomorfologia, ambiente e planejamento. São Paulo: Contexto, 1990.

______; MOROZ, I. C. Mapa geomorfológico do estado de São Paulo. São Paulo: Laboratório de Geomorfologia/DG-FFLCH-USP/IPT/Fapesp, 1997. v. I-II. Escala 1:500.000.

RUHE, R. V. Geomorphic processes and surficial geology. Geomorphology. Boston: Houghton Mifflin Company, 1975.

SÃO PAULO (Cidade). Secretaria Municipal de Cultura. Departamento de Patrimônio Histórico. Informativo do Arquivo Histórico Municipal Washington Luís. n. 4, set./out. 2008. Disponível em: http://www.arquiamigos.org.br/info/info20/index.html#topo>. Acesso em: 6 dez. 2009.

SÃO PAULO (Estado). Plano Diretor de macrodrenagem da bacia hidrográfica do Alto Tietê. São Paulo: Consórcio Enger/Promon/CKC, 1998.

SAVIGEAR, R. A. G. A technique of morphological mapping. Annals Association American Geographers, v. 55, n. 3, p. 514-538, 1965.

SCOTTISH EXECUTIVE ENVIRONMENT GROUP RESEARCH. Natural Flood Stor¬age and Extreme Flood Events. Final Report. Edinburgh: JBA Consulting, 2005. p. 74.

SEABRA, O. C. Os meandros dos rios nos meandros do poder: Tietê e Pinheiros – valorização dos rios e das várzeas na cidade de São Paulo. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1987.

TRAVASSOS, L. R. F. C. Macrodrenagem e expansão urbana na bacia do Alto Tietê. In: Tietê Vivo – Fórum de Difusão Científica para Inovações de Pesquisa e Extensão – 2007. São Paulo: USP, 2008. Disponível em: http://tietevivo.files.wordpress.com/2008/06/luciana-travessos.pdf. Acesso em: 15 fev. 2010.

TROEH, F. R. Landform equations fitted to contour maps. American Journal of Sciences, New Haven, v. 263, p. 616-627, 1965.

TUCCI, C. E. M. Drenagem urbana. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 55 n. 4, p. 36-37, out./dez. 2003. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252003000400020&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 3 abr. 2010.

______. Aspectos institucionais do controle das inundações urbanas. In: TUCCI, C. E. M.; MARQUES, D. L. M. (Org.). Avaliação e controle da drenagem urbana. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000. v. 1. Disponível em: http://www,.iph.ufrgs.br/corpodocente/tucci/publicacoes/institu.PDF. Acesso em: 10 fev. 2010.

______; COLLISCHONN, W. Drenagem urbana e controle de erosão. In: TUCCI, C. E. M.; MARQUES, D. L. M. (Org.). Avaliação e controle de drenagem urbana. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000. p. 113-127. v. 1.

VILLELA, S. M.; MATTOS, A. Hidrologia aplicada. São Paulo: McGraw-Hill, 1975.




DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2017.105342

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Isabel Cristina Moroz-Caccia Gouveia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

GEOUSP: Espaço e Tempo (Online)
ISSN 2179-0892
Departamento de Geografia - FFLCH - USP
geouspusp.br / www.geografia.fflch.usp.br