Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Geocronologia Pb/Pb de zircões detríticos e análise estratigráfica das coberturas sedimentares proterozóicas do Sudoeste do Cráton Amazônico

Jayme Alfredo Dexheimer Leite, Gerson Souza Saes

Resumo


A análise estratigráfica e dados radiométricos obtidos pelo método Pb/Pb de evaporação em zircões detríticos das coberturas proterozóicas do sudoeste do Cráton Amazônico conduziu ao reconhecimento de duas seqüências deposicionais principais limitadas por discordância regional através de toda a extensão deste segmento do Cráton. A seqüência mais antiga (Grupo Beneficente) assenta sobre as vulcânicas Teles Pires na Bacia do Cachimbo através de discordância angular e erosiva. É constituída por uma unidade inferior de clásticos grosseiros aluviais (Unidade Terrígena) cujas principais fontes de zircões detríticos situam-se nas vulcânicas ácidas a intermediárias paleoproterozóicas da Seqüência Teles Pires sotoposta e no núcleo arqueano da Província Amazônia Central a leste. Este pacote basal foi acumulado em leques aluviais e rios arenosos de padrão entrelaçado. As idades Pb/Pb obtidas em zircões detríticos das facies conglomeráticas da base desta unidade indicaram a idade máxima de 1,74 Ga para o início da sua deposição. Na borda sul da Bacia do Cachimbo esta unidade inferior é recoberta concordantemente por clásticos finos e carbonatos, acumulados em ambiente marinho raso epicontinental, com ondas e tempestades como processos deposicionais dominantes. Neste setor, os estratos do Grupo Beneficente mergulham 35°/180 e são recobertos por uma seqüência de rochas siliciclásticas horizontalizadas, ricas em detritos dos sedimentos sotopostos e correlacionada à formação Dardanelos. Contudo, a Seqüência Dardanelos aflora principalmente na Bacia Caiabis/Aripuanã, a sul do Cachimbo e nas bacias proterozóicas de Rondônia, Mato Grosso e Bolívia (coberturas Guajará Mirim, Aguapeí e Sunsas). Na Bacia Caiabis/Aripuanã, consiste de areias e cascalhos aluviais com fontes dos clastos predominantemente sedimentares e depositados em sistemas de rios entrelaçados, com freqüentes intercalações de areias de dunas eólicas, sahbkas litorâneas e areias de mar raso (tempestitos), cujos dados de paleocorrentes indicam a existência contemporânea de uma margem continental à oeste da região. A idade máxima do início de sua deposição é indicada pelos zircões detríticos mais jovens dos conglomerados basais, para os quais foi obtido o valor de 1,3 Ga. O Grupo Aguapeí aflora extensivamente no sudoeste de Mato Grosso, noroeste de Mato Grosso do Sul e oriente boliviano e é composto por uma seqüência transgressiva-regressiva que preenche um rift intracontinental de complexa história geológica. Os zircões detríticos separados de seu conglomerado basal apontam uma idade mais jovem de 1,35 Ga, interpretada como a idade máxima para o início de sua deposição. Os dados radiométricos e geológicos obtidos possibilitam o reconhecimento de no mínimo, duas coberturas sedimentares proterozóicas principais, as seqüências deposicionais Beneficente e Dardanelos, que recobrem o sudoeste do Cráton Amazônico, ambas resultando de estiramento crustal e rifteamento nos intervalos 1,7 - 1,3 Ga e 1,3 - 1,0 Ga, respectivamente.

Palavras-chave


coberturas proterozóicas;Cráton Amazônico;Geocronologia Pb/Pb;ambientes deposicionais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/S1519-874X2003000100009

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




SCImago Journal & Country Rank