Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Genograma e ecomapa: possibilidades de utilização na estratégia de saúde da família

Débora F. de Mello, Cláudia S. Vieira, Érica Simpionato, Zélia M.M Biasoli-Alves, Lucila C. Nascimento

Resumo


Conhecer a estrutura da família, sua composição, como os membros se organizam e interagem entre si e com o ambiente, os problemas de saúde, as situações de risco, os padrões de vulnerabilidade, é vital para o planejamento do cuidado à saúde da família. Este estudo objetiva descrever a aplicação dos instrumentos genograma e ecomapa em duas famílias cadastradas no Núcleo de Saúde da Família IV do Centro de Saúde Escola de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, com vistas à reflexão sobre sua utilização no PSF. É um estudo descritivo-exploratório, fundamentado na literatura e na experiência das autoras quanto à utilização do genograma e ecomapa como um instrumento de coleta de dados em entrevistas com famílias. A aplicação destes instrumentos possibilitou informações sobre a família e suas relações entre si e com a comunidade, constituindo-se em uma ferramenta para ordenar as informações sobre a família, de forma prática, para o cuidado da saúde centrado na família. Conclui-se que esses instrumentos podem ser adotados pela equipe de saúde da família como uma forma de abordar a família, de modo que esta se sinta participante do processo de coleta de informações, bem como possibilita conhecer a família no que tange à estrutura familiar, cultura, ciclo de vida, relações e inter-relações.

Palavras-chave


Genograma;Ecomapa;Família

Texto completo:

PDF

Referências


Biasoli-Alves ZMM, Caldana RHL, Dias da Silva MGF. Práticas de educação da criança na família: a emergência do saber técnico-científico. Rev Bras Crescimento Desenvolv Humano. 1997;7(1):49-62.

Biasoli-Alves ZMM. Crianças e adolescentes: a questão da tolerância na socialização das gerações mais novas. In: Biasoli-Alves ZMM & Fishmann R (orgs.). Crianças e adolescentes: construindo uma cultura da tolerância. São Paulo: Edusp; 2001. p.79-93.

Nery CB. Atenção de enfermagem à mãe e à criança. In: Vanzin AS, Nery MES. Atenção integral àsaúde da criança: um enfoque epidemiológico. Porto Alegre: RM&L Gráfica; 1998. p. 29-35.

Mauro MYC. A criança no núcleo familiar e no contexto comunitário: uma abordagem de enfermagem. In: Vanzin AS, Nery MES. Atenção integral à saúde da criança: um enfoque epidemiológico. Porto Alegre: RM& L Gráfica;1998. p. 55-70.

Nazareth ER. Desenvolvimento da família. Rev Soc Bras Psicanálise de São Paulo. 2002;(36): 19-21.

Bastos ACS, Trad LAB. A família enquanto contexto de desenvolvimento humano: implicações para a investigação em saúde. Ciência e Saúde Coletiva 1998; 3(1): p.106-115.

Vasconcelos EM. A priorização da família nas políticas de saúde. Saúde em Debate 1999; 23(53):6-19.

Brasil, Ministério da Saúde. Programa saúde da família. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 1998.

Kent WA. Forensic family genogram: an assessment & intervention tool. J Psychosoc Nurs Ment Health Serv . 1999;37(9):52-6.

Fracolli LA, Bertolozzi MR. O perfil epidemiológico na prática do enfermeiro no programa de saúde da família. In: Brasil, Ministério da Saúde. Programa Saúde da Família. Manual de enfermagem. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.

Nichiata LYI, Fracolli LA. O sistema de informação de atenção básica-SIAB como um instrumento de trabalho da equipe no programa de saúde da família: a especificidade do enfermeiro. In: Brasil, Ministério da Saúde. Instituto para o Desenvolvimento da Saúde. Manual de Enfermagem. Brasília: Ministério da Saúde; 2001. p. 29-33.

Wrigth LM, Leahey M. Enfermeiras e famílias: um guia para avaliação e intervenção na família. 3ªed.São Paulo: Rocca, 2002. 327p.

Herth KA. The root of the all: genograms as nursing assesment tool. J Gerontological Nursing. 1989;15(12):32-7.

QueirósAA. Enfermagem de família: uma abordagem contextualizadora. Disponível em: www.anaqueiros.com. Acesso em: 24 jun. 2003.

Rocha SMM, Nascimento LC, Lima RAG. Enfer magem pediátrica e abordagem da família: subsídios para o ensino de graduação. Rev. Latino-Am Enfermagem. 2002; 10(4):709-14.

Anderson KH, Tomlinson PS. The family health system as an emerging paradigmatic view for nursing. Image J Nurs Sch. 1992;24(1):57-63.

Ross B, Cobb KL. Eco-map construction. In: Family Nursing. New York: Addison Wesley, 1990;cap 7, p. 177- 181.

Bousso RS, Ângelo M. A enfermagem e o cuidado na saúde da família. In: Brasil, Ministério da Saúde. Manual de enfermagem. Instituto para o Desenvolvimento da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2001. p. 18-22.

McGoldrick M, Gerson R. The computerized genogram. Prim. Care. 1999a;12(3):535-45.

McGoldrick M, Gerson R. Genograms: assessment and intervention. New York: Norton and Company; 1999b.

Brasil, Ministério da Saúde. Instituto para o Desenvolvimento da Saúde. Guia Prático do Programa Saúde da Família. Brasília: Ministérioda Saúde, 2000.

Brasil, Ministério da Saúde. Instituto para o Desenvolvimento da Saúde. Manual de Enfermagem. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.7322/jhgd.19751

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.