Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Aspectos bioquímicos do metabolismo de carboidratos em Biomphalaria glabrata

Metry Bacila

Resumo


Biomphalaria glabrata apresenta grande capacidade para metabolizar carboidratos, além de mecanismo ativo de biossíntese de carboidratos. Sabe-se que o conteúdo total de carboidratos que oscila entre 12-14% no peso total do organismo varia de acordo com condições específicas nas quais vive o molusco, por exemplo, durante períodos de jejum ou em condições de vida fora d’água. Mecanismo anaplerótico especial pode ser associado com os principais padrões biossintéticos do metabolismo de carboidratos, isto é, a operação da enzima “málica”. Essa última pode ser associada aos mecanismos respiratórios através do ciclo do TCA ou com a via significativa para a reoxidação do NADH formado durante a glipiruvato. B. glabrata é também muito peculiar no que se refere à regulação de níveis de NADP/NADPH e NAD/NADH, esse último sendo regulado pela desidrogenase de α-glicerofosfato de pé muscular, enquanto que a atividade de desidrogenase láctica é menos significativa para a reoxidação do NADH formado durante a glicólise. Além disso, foi ainda verificado que os tentáculos isolados de B. glabrata são capazes de mobilidade unidirecional na água. Tal mobilidade pode ser medida e usada como reagente biológico sensível para o estudo do efeito biológico de inibidores metabólicos e de moluscocidas e uma variedade de compostos quimoterapêuticos usados no tratamento da esquisostomose mansônica. A antena isolada é também muito sensível à ação de vários agentes farmacológicos.


Palavras-chave


O artigo não apresenta palavras-chave.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2318-5066.v8i3p541-561

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.