Portal da USP Portal da USP Portal da USP

Fenos de capim de Rhodes (Chloris gayana) ou de alfafa (Medicago sativa), em dietas com dois níveis protéicos. II. Degradação de nutrientes no rúmen

Carlos de Sousa Lucci, Edison Schalch, José Carlos Machado Nogueira Filho, Valdo Rodrigues Herling, Raul Franzolin Neto, Laércio Melotti, Cesar Gonçalves de Lima, José Aparecido Cunha

Resumo


Oito bezerros machos, mestiços europeu-zebu, com 80 kg a 90 kg de peso e dotados de fistulas ruminais, prestaram-se para comparar os seguintes tratamentos, dispostos em um arranjo fatorial 2 x 2: A) feno de Rhodes (40%) ,mais concentrados (60%) em dietas com 13% PB; B) idem de A, em dietas com 17% PB; C) feno de alfafa (40%) mais concentrados (60%) e m dietas c o m 13% PB; D) idem de C, em dietas com 17% PB. O delineamento utilizado foi o “change-over" com dois grupos de 4 animais cada, e subperíodos de quatro semanas de duração, sendo a quarta, utilizada para medir degradabilidade de nutrientes "in si tu", pela técnica de sacos de nylon suspensos no rúmen. Os tempos de incubação foram: 3 h, 12 h, 24 h, 48 h, 72 h e 96 h. Os resultados indicaram que a matéria seca das rações com feno de alfafa desapareceu mais rapidamente do que as que continham feno de Rhodes (p < 0,05), mas a proteína das rações com feno de alfafa foi degradada mais lentamente no interior do rúmen (p < 0 , 0 5 ) para 3, 12 e 24 horas de incubação. Surgiu, ainda, a tendência (não confirmada estatisticamente) de um maior desaparecimento da fibra, no interior do rúmen, para rações com 17% PB, comparativamente às com 13% PB.


Palavras-chave


Alimentação (bezerros); Alimentos (digestibilidade); Alimentos (volumosos); Proteína (degradabilidade ruminal)

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2318-3659.v26i2p267-274

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.