Pedidos em italiano e português brasileiro: de um estudo contrastivo à reflexão sobre interculturalidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i48p64-94

Palavras-chave:

Pedidos, Italiano, Português brasileiro, Discourse Completion Task, Interculturalidade

Resumo

O grupo de pesquisa “Pragmática (inter)linguística, cross-cultural e intercultural” (CNPq/Fapesp/USP) está conduzindo uma pesquisa contrastiva sobre pedidos e sua realização em diferentes línguas e culturas, com o intuito de identificar convergências e divergências e de refletir sobre como podem interferir na interação entre os falantes. Amplamente estudado, o pedido foi escolhido por, ao menos, dois motivos: (a) trata-se de um dos atos de fala mais frequentes; (b) é fortemente influenciado por fatores contextuais e culturais. Tais fatores adquirem particular relevância quando se considera que é um Face-Threatening Act (BROWN; LEVINSON, 1987), já que com um pedido se busca induzir o interlocutor a realizar uma ação (SEARLE, 1979), colocando assim em risco tanto a face positiva de quem o realiza, quanto a face negativa de quem o recebe. De fato, por um lado, uma eventual recusa pode frustrar a necessidade de o indivíduo ser reconhecido e aprovado e, por outro, a necessidade de reagir a um pedido pode comprometer a liberdade individual. Os dados analisados neste artigo foram coletados por meio de um dos instrumentos utilizados pelo grupo: um Written Discourse Completion Task (WDCT), no qual são apresentadas situações da vida cotidiana que induzem à realização de pedidos. Aos participantes é solicitado que escrevam o que diriam se estivessem nas situações propostas, que foram elaboradas considerando a distância social e o grau de imposição, duas das  variáveis contextuais propostas por Brown e Levinson (1987). Os resultados apresentados aqui se referem a duas amostras, compostas por 30 italianos e 30 brasileiros. A análise se concentra nas características dos atos principais e em certos tipos de atos de suporte (BLUM-KULKA et al., 1989), bem como no modo como as formulações recorrentes podem ser indícios de convencionalidade em cada uma das duas línguas de referência, considerando particularmente de que maneira o conhecimento sobre tais características pragmáticas pode influenciar as dinâmicas comunicativas interculturais.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Elisabetta Santoro, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

    É graduada em Línguas e Literaturas Estrangeiras na Università degli Studi di Bari (alemão/ inglês) e em Tradução na Ruprecht-Karls Universität de Heidelberg (alemão/italiano/português). Mestrado e doutorado foram concluídos na Universidade de São Paulo (USP), na qual desde 2003 é docente da Área de Língua e Literatura Italiana. Seus principais interesses de pesquisa são: aquisição, aprendizagem e ensino do italiano L2, pragmática linguística, semiótica narrativa e discursiva e relações Itália-Brasil, Sobre esses temas publicou artigos e ensaios. É presidenta da Associação Brasileira de Professores de Italiano (ABPI), membro da diretoria da Associação Internacional de Professores de Italiano (AIPI) e sócia de outras associações científicas da área. É líder do Grupo de Pesquisa “Pragmática (inter)linguística, cross-cultural e intercultural” (GPP/CNPq/Fapesp) e vice-líder do Grupo de Pesquisa “Língua, Identidade e Memória: o italiano dos Italianos do Brasil” (GLIM/CNPq), além de pesquisadora do LEER (Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação da Universidade de São Paulo).

  • Mayara Neto, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

    Mayara da Silva Neto possui graduação em Letras português-italiano (bacharelado, 2015) e Mestrado em Letras (Língua, Literatura e Cultura Italianas, 2018) pela Universidade de São Paulo - USP. Atualmente é doutoranda Letras, (Língua, Literatura e Cultura Italianas) da Universidade de São Paulo e na Università del Salento.

Referências

AUSTIN, J. L. How to do things with words. London: Oxford University Press, 1962.

BARTALI, V. Request realisation strategies in Italian: The influence of the variables of Distance and Weight of Imposition on strategy choice. Lodz Papers in Pragmatics, 18.1, 2022, p. 55–90. DOI: https://doi.org/10.1515/lpp-2022-0003

BLUM-KULKA, S.; HOUSE, J. J.; KASPER, G. Cross-Cultural Pragmatics: Requests and Apologies. Norwood, New Jersey: Alex Publishing Corporation, 1989.

BLUM-KULKA, S. The Metapragmatics of Politeness in Israeli Society. In Watts, R. et al. (Eds.) Politeness in Language: Studies in its History, Theory, and Practice. Berlin: Mouton de Gruyter, 1992.

BRIZ, A.; ALBELDA, M. Una propuesta teórica y metodológica para el análisis de la atenuación lingüística en español y portugués. La base de un proyecto en común (ES.POR.ATENUACIÓN), ONOMÁZEIN 28, 2013, p. 288 - 319.

BROWN, P.; LEVINSON, S. Politeness: Some Universals in Language Use. 2a ed. Cambridge: Cambridge University Press, 1987.

CAFFI, C. La mitigazione. Un approccio pragmatico alla comunicazione nei contesti terapeutici. Muenster, LIT, 2001.

CAFFI, C. Pragmatica: sei lezioni. Roma: Carocci, 2009.

GOFFMAN, E. Ritual de Interação: ensaios sobre o comportamento face a face. Trad. F. Rodrigues Ribeiro da Silva. Petrópolis: Vozes. (Titolo originale: Interaction Ritual: essays on face-to-face behavior. New York: Garden City), 2011 [prima edizione: 1967]. GOLATO, A. Studying Compliment Responses A Comparison of DCTs and Recordings of Natural Occurring Talk. Applied Linguistics, 24, 2003, 90-121. DOI:https://doi.org/10.1515/text.1.21.1-2.187

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Les actes de langage dans le discours. Théorie et fonctionnement. Paris: Nathan, 2001.

NUZZO, E. Imparare a fare cose con le parole. Richieste, proteste, scuse in italiano lingua seconda. Perugia: Guerra Edizioni, 2007.

PORCELLATO, A. M.; SPADOTTO, L. do N.; SILVA NETO, M. da. Dalla ricerca alla didattica: proposte per promuovere la consapevolezza metapragmatica e la competenza interculturale nell’insegnamento di italiano L2 ad apprendenti brasiliani. Revista de Italianística, 44, 135-161, 2022. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i44p135-161.

SANTORO, E. Richieste e attenuazione: un confronto tra italiano e portoghese brasiliano. Normas, vol. 7, n. 2, 2017, p. 179-204. DOI: 10.7203/Normas.v7i2.11173

SANTORO, E.; PORCELLATO, A. M. Língua, cultura e cognição: um estudo do ato de fala do pedido em italiano, português brasileiro, espanhol argentino e alemão. PERcursos Linguísticos, v. 10, n. 26, 2020 p. 49-71. DOI: https://doi.org/10.47456/pl.v10i26.33412

SANTORO, E.; PORCELLATO, A. M. Escolhas linguísticas e valores culturais na construção interacional de pedidos de brasileiros e italianos. Linguagem em (dis)curso 22 (3), Set-Dez 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/1982-4017-22-03-465-482

SANTORO, E.; SILVA, L. A.; KULIKOWSKI, M. Z. Estudar pedidos na perspectiva da Pragmática cross-cultural. In: SANTORO, E.; SILVA, L.A; Kulikowski, M. Z. (a cura di.) Estudos em Pragmática: atos de fala em português, italiano, espanhol e inglês. São Paulo: Portal de Livros Abertos da USP, 2021, p. 13-36.

SBISÀ, M. Linguaggio, ragione e interazione: per una pragmatica degli atti linguistici. Edizione digitale: Edizioni Università di Trieste, 2009 [prima edizione: 1989].

SCHALKOSKI-DIAS, L; GODOY, E. Supportive moves in requests and orders in Brazilian portuguese and Uruguayan spanish variant. Acta Scientiarum. Language and Culture, vol. 40, 2018. DOI: https://doi.org/10.4025/actascilangcult.v40i1.36434.

SEARLE, J. Expression and Meaning. Studies in the Theory of Speech Acts. Cambridge: Cambridge University Press, 1979.

THOMAS, J. Cross-Cultural Pragmatic Failure. Applied Linguistics, 4, 1983, p. 91-112. DOI: https://doi.org/10.1093/applin/4.2.91.

Publicado

04/21/2024

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

Santoro, E., & Neto, M. (2024). Pedidos em italiano e português brasileiro: de um estudo contrastivo à reflexão sobre interculturalidade. Revista De Italianística, 48, 64-94. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i48p64-94

Dados de financiamento