Discurso digital e divulgação científica no Twitter: análise da heterogeneidade tecnoenunciativa em tuíte reunido pela hashtag #divulgaçãocientífica

Autores

  • Eduardo Paré Glück Universidade Federal do Rio Grande do Sul https://orcid.org/0000-0001-5032-9582
  • Maria Eduarda Giering Universidade do Vale do Rio dos Sinos

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v37i1p86-104

Palavras-chave:

Tecnodiscursividade, Twitter, Linguística Textual, Heterogeneidade Tecnoenunciativa, Divulgação Científica

Resumo

Este artigo apresenta resultados parciais da tese de Glück (2024). O referido estudo objetivou investigar o fenômeno da heterogeneidade tecnoenunciativa, em particular o tecnodiscurso relatado, e sua implicação para a ação de divulgar a ciência, em um tuíte de divulgação científica reunido a partir da hashtag #divulgaçãocientífica. Do ponto de vista teórico, apresentam-se conceitos da Análise do Discurso Digital, consoante Marie-Anne Paveau, bem como postulações de Sophie Moirand acerca da extensão de corpora em ambiente digital. A análise do tuíte gerado consistiu nas seguintes etapas: (i) geração dos dados para análise, na temática da divulgação científica; (ii) descrição do tuíte dos dados gerados, a partir do ecossistema Twitter; (iii) identificação das estratégias de materialização de heterogeneidade tecnoenunciativa, via Paveau; (iv) considerações acerca da materialização do fenômeno da heterogeneidade tecnoenunciativa e sua implicação para a divulgação científica. A análise corrobora o fato de que os discursos digitais nativos são de ordem tecnolinguageira, num verdadeiro compósito a partir de uma perspectiva ecológica, simétrica e pós-dualista.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Eduardo Paré Glück, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

    Doutor em Linguística Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2024).
    Pesquisador de pós-doutorado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil).

  • Maria Eduarda Giering, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

    Doutora em Linguística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1997).
    Professora titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Brasil).

Referências

BELING, F. As 10 maiores redes sociais em 2023. Disponível em: https://www.oficinadanet.com.br/post/16064-quais-sao-as-dez-maiores-redes-sociais. Acesso em: 06 jun. 2023.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Tradução Magda Lopes. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

GIERING, M. E; GLÜCK, E. P. A tecnodiscursividade no ecossistema Twitter: percurso metodológico para análise do discurso digital nativo. In: CORTEZ, S. L. (Org.). O texto digital: teoria e prática. Pontes, Campinas, no prelo.

GIERING, M. E; PINTO, R. O discurso digital nativo e a noção de textualidade: novos desafios para a Linguística Textual. Revista (Con)Textos Linguísticos, v. 15, n. 31, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/view/35655. Acesso em: 05 jun. 2023.

GLÜCK, Eduardo Paré. A heterogeneidade tecnoenunciativa em um conjunto de tuítes reunidos pela hashtag #divulgaçãocientífica. Orientadora: Maria Eduarda Giering. Coorientadora: Matilde Gonçalves. 2024. 174f. Tese de Doutorado (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação Doutorado em Linguística Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

GZH. Elon Musk inicia mudança do nome do Twitter para X. 2023. Disponível em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/tecnologia/noticia/2023/07/elon-musk-inicia-mudanca-do-nome-do-twitter-para-x-clkgq5s2m00030154p8pe3doa.html. Acesso em: 10 jun. 2023.

LATOUR, B. Reagregando o Social. Tradução de Gilson César Cardoso de Souza. Bauru, SP: EDUSC, Salvador, BA: EDUFBA, 2012.

MOIRAND, S. A contribuição do pequeno corpus na compreensão dos fatos da atualidade. Tradutores Fernando Curtti Gibin & Julia Lourenço Costa. Revista Linguasagem, São Carlos, v.36, Dossiê Metodologias de Pesquisa em Ciências da Linguagem, jul./dez. 2020, p. 20-41. Disponível em: https://www.linguasagem.ufscar.br/index.php/linguasagem/article/view/826. Acesso em: 10 out. 2020.

MUNIZ-LIMA, I. Modos de interação em contexto digital. 2022. Tese (Doutorado em Linguística) (cotutela) – Universidade Federal do Ceará, Centro de Humanidades, Programa de Pós-Graduação em Linguística e Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Departamento de Linguística, 2022. Disponível em: https://run.unl.pt/handle/10362/137024. Acesso em: 29 out. 2022.

PAVEAU, M.-A. Technodiscursivités natives sur Twitter: une écologie du discours numérique. Epistémè: Revue internationale de sciences humaines et sociales appliquées, n. 9, p. 139-176, 2013. Disponível em: https://hal.archives-ouvertes.fr/hal-00859064/document. Acesso em: 04 out. 2022.

PAVEAU, M.-A. Dictionnaire Technodiscours rapporté. In: Technologies discursives, 2014. Disponível em: https://technodiscours.hypotheses.org/606. Acesso em: 20 mar. 2021.

PAVEAU, M.-A. L’écriture numérique. standardisation, delinéarisation, augmentation. Fragmentum, n. 48, p. 13-36, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/fragmentum/article/view/23296/15104. Acesso em: 04 out. 2022.

PAVEAU, M.-A. Análise do discurso digital: dicionário das formas e das práticas. Tradutores Julia Lourenço Costa e Roberto Leiser Baronas. 1 ed. Campinas, SP. Editora Pontes, 2021.

Downloads

Publicado

2024-03-14

Como Citar

GLÜCK, Eduardo Paré; GIERING, Maria Eduarda. Discurso digital e divulgação científica no Twitter: análise da heterogeneidade tecnoenunciativa em tuíte reunido pela hashtag #divulgaçãocientífica. Linha D’Água, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 86–104, 2024. DOI: 10.11606/issn.2236-4242.v37i1p86-104. Disponível em: https://revistas.usp.br/linhadagua/article/view/212842.. Acesso em: 20 jun. 2024.

Dados de financiamento