Entre o luto e as memórias: a escrita emblemática de Carmen Perilli, em Improlijas memorias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.i26p468-493

Palavras-chave:

Pósditadura argentina, Memória emblemática, Escrita de si, Improlijas memorias, Cartonería argentina

Resumo

Este artigo destaca uma das recentes produções cartoneras. Trata-se de Improlijas memorias, romance de estreia da pesquisadora argentina Carmen Perilli, que abarca desde a última ditadura argentina (1976-1983) até os recentes inquéritos contra os algozes daquele tempo. A memória é a peça-chave para denunciar o ambiente opressor vivido e o consequente estado de medo e de incerteza da população. A narrativa apresenta fatos e documentos judiciais sobre os mortos e desaparecidos, assim como se deixa levar pelas lembranças, através das quais mostra os impactos da “guerra sucia” sobre a própria autora. A par disso, Carmen Perilli constrói uma narrativa fragmentada, híbrida e particular. Defende-se, neste artigo, que a construção dessa escrita contribui para a elaboração de uma memória emblemática sobre os eventos traumáticos, assim como o modo de produção do texto, a cartonería, potencializa uma voz de resistência contra o autoritarismo de qualquer ordem.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Rosane Maria Cardoso, Universidade de Santa Cruz do Sul

    Doutora em Letras pela PUCRS, com pósdoutorado pela Universidade de Granada/Espanha. É professora dos Programas de Pós-Graduação em Letras da UNISC e da FURG. Pesquisa sobre Memória e violência na narrativa latino-americana contemporânea e literatura infantil e juvenil.

Referências

Álvarez, Yamile. La Revolución argentina y los inicios de la radicalización: juventud universitaria y catolicismo posconciliar en Mendoza (1966-1973). In: Latinoamérica. Revista de estudios Latinoamericanos, Ciudad de México, n. 51, p. 85-108, dic. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1665-85742010000200005&lng=es&nrm=iso>. Acesso em: 22 dez. 2022.

Alves, Cláudia. Cartoneras: a publicação de livros como instrumentos de resistência. Blog Marca páginas, abril de 2019. Disponível em: <https://www.blogs.unicamp.br/marcapaginas/2019/04/22/cartoneras-a-publicacao-de-livroscomo-instrumentos-de-resistencia/>. Acesso em: 09 jan. 2023.

Assmann, Aleida. Espaços de recordação: formas e transformações da memória cultural. Campinas, UNICAMP, 2011.

Bombara, Paula. El mar y la serpiente. 3ª ed. Buenos Aires: Norma, 2009.

Candau, Joël. Memória e identidade. Trad. Maria Letícia Ferreira. São Paulo: Contexto, 2021.

Cardoso, Rosane. Los 30.000 mil que nos hacen falta: la narrativa necesaria de Paula Bombara. Entreletras, v. 12, n. 2, mai./ago. 2021. Disponível em: <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/entreletras/article/view/12491>. Acesso em: 22 out. 2022.

Carlson, Brian. Blog Los aparecidos. Disponível em: <https://www.losaparecidos.com/sobre-about/>. Acesso em: 08 set. 2022.

Centro de Información Judicial. Identificaron los restos de dos personas desaparecidas durante la dictadura militar. 20 de noviembre de 2012. Disponível em: <https://www.cij.gov.ar/nota-10301-.html.>. Acesso em: 08 nov. 2022.

Detsch, Roland. Qual é o significado real da lembrança? Uma entrevista com Aleida Assmann, 2011. Disponible en: <https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/fok/cul/20809570.html.>. Acceso en: 23 jun. 2021.

Jelin, Elizabeth. Conferencia Memorias en conflito – pronunciada en el Encuentro por la Reconstrucción de la Memoria, La Plata, agosto de 2002. In: Blanco, Lidia. Reseña El mar y la serpiente. Imaginaria – Revista quincenal sobre literatura infantil y juvenil. 15 de mar.

Jelin, Elizabeth; Kaufman, Susana (comps.) Subjetividades y figuras de la memoria. Buenos Aires: Siglo XXI Editores, 2006.

Kierkegaard, Sören A. O conceito de angústia: uma simples reflexão psicológico-demonstrativa direcionada ao problema dogmático do pecado hereditário. Petrópolis: Vozes, 2017.

Lejeune, Philippe. La pasión por la autobiografía. Entrevista a ALBERCA, Manuel. Cuadernos Hispanoamericanos (julio-agosto, 2004). Disponível em <http://www.revistasculturales.com/revistas/17/cuadernos-hispanoamericanos/num/649-650/>. Acesso em: 27 jan. 2023.

Molloy, Sylvia. Vale o escrito: a escrita autobiográfica na América Hispânica. Tradução Antônio Carlos Santos. Chapecó: Argos, 2003.

Novaro, Marcos; Palermo, Vicente. A ditadura militar na Argentina – 1976-1983: do golpe de estado à restauração democrática. Trad. Alexandra de Mello e Silva. São Paulo: Edusp, 2007.

Perilli, Carmen. Improlijas memorias. Clase abierta de la Cátedra Teoría Literaria I - Presentación del Catálogo 2021 Vera Cartonera. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=3DwPTarwUug>. Acesso em: 30 jan. 2023.

Perilli, Carmen. Sombras de autor: la narrativa latinoamericana entre siglos 1990-2010. Buenos Aires, Corregidor, 2014.

Sarlo, Beatriz. Tiempo pasado. Cultura de la memoria y giro subjetivo: una discusión. Buenos Aires: Siglo XXI, 2012.

Sousa Ribeiro, António. Pós-memória e ressentimento. Buala. 27 nov. 2019. Disponível em: <https://www.buala.org/pt/a-ler/pos-memoria-e-ressentimento>. Acesso em: 30 jan. 2020.

Sousa Ribeiro, António. Pós-memória e a condição da vítima. Buala. 17 abr. 2020. Disponível em:<https://www.buala.org/pt/a-ler/a-pos-memoria-e-a-condicaoda-vitima>. Acesso em: 30 jan. 2020.

Williams, Dana. Hijos de la dictadura: posmemoria, trauma y resistencia en Chile actual. Independent Study Project (ISP), Collection/2901. Disponível em: <https://digitalcollections.sit.edu/isp_collection/2901>. Acesso em: 29 out. 2022.

Zeruvabel, Eviatar. The elephant in the room: silence and denial in everyday life. Oxford: Oxford University Press, 2006.

Downloads

Publicado

2023-10-09

Como Citar

CARDOSO, Rosane Maria. Entre o luto e as memórias: a escrita emblemática de Carmen Perilli, em Improlijas memorias. Caracol, São Paulo, Brasil, n. 26, p. 468–493, 2023. DOI: 10.11606/issn.2317-9651.i26p468-493. Disponível em: https://revistas.usp.br/caracol/article/view/208274.. Acesso em: 22 maio. 2024.